domingo, 5 de julho de 2009

sem prazo de validade

Consome-me nas minhas horas mais escuras e sombrias
sem prazo de validade...
Consome-me e deixa-me sem sentidos
sem saber o caminho para casa...
Chama-me Eva, a mulher do paraíso...
deixa-me em ponto de rebuçado...
uma trinca nunca chega...

1 comentário:

Anónimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.