segunda-feira, 17 de novembro de 2008

Nós e a cidade

A cidade é realmente o berço dos arrependidos. Toda a sua candura matinal se confunde numa perfeita simbiose entre os rostos perdidos. As frustrações, guardadas dentro de cada um de nós, parecem fazer mais sentido do que nunca quando estamos no coração da cidade.

Só nós, os tristes, continuamos a perceber o quanto a cidade é magnifica nas suas tonalidades frias e obscuras de cada esquina.Só nós nos recusamos a ziguezaguear por entre as poças de água das calçadas, feito baratas tontas caminhando pelos labirintos citadinos.

Só nós recebemos de braços abertos as primeiras chuvas. E, só nós conseguimos gelar os nossos pulmões ao respirar bem fundo em cada manhã fresca. Só nós conseguimos dizer bem alto, no mais profundo de nós mesmos, "Estou viva!"

2 comentários:

Fenix disse...

Não há dúvida que a cidade é o melhor lugar para estar sozinho no meio da nultidão, para "gritar" por socorro e ninguém ouvir, para chorar e ninguém oferecer ajuda..., enfim..., para o arrependimento sem cura...

Vieira Calado disse...

Somos nós mesmos a cidade.
E é aqui que estamos vivos e respiramos.

Muito interessante, esbelto, o seu texto.

Cumprimentos.