domingo, 22 de julho de 2012

Aquilo que é indizível

Aquilo que é indizível, aquilo que nos escapa, aquilo que nos deixa a pensar antes do adormecer, aquilo que fica cá dentro de nós à espera de ser descoberto num qualquer recanto do coração. Aquilo que à fina força nos tortura... é a existência da possibilidade, que para mim é um conjunto de janelas com híbridas tormentas... O tempo foge voando e tudo me inquieta... E tu estás dentro de mim e eu por dentro de ti e tu estás nestas palavras, que são minhas e de mais ninguém... e nós somos tudo aquilo que é indizível...



6 comentários:

Álvaro Lins disse...

Já o Nietzsche dizia mais ou menos isto na sua obra Humano, demasiado humano : "...O amor deseja, o medo evita; mas o amor não reconhece nenhum poder, nada que separe, distinga ou submeta...".
Gostei do que li.
Abraço

Marta disse...

E tudo aquilo com que sonhamos....
Porque amamos....
Lindo....
Obrigada pela visita
Beijos e abraços
Marta

Anónimo disse...

O Amor está no indizível, mas tu já sabes isso...

Aquele abraço,
H.

Mar Arável disse...

Por vezes
só por gestos

... e já é tanto

© Piedade Araújo Sol disse...

mas o indizível, por vezes não é preciso (mesmo) dizer.

basta. e. só, um olhar.

beij

Álvaro Lins disse...

Bom fim de semana... a cada instante:)!
Bjo