segunda-feira, 25 de junho de 2012

De volta a casa.

De volta a casa, onde toda a gente me conhece pelo primeiro nome, o próprio. As corujas cantam no telhado, as estrelas piscam os olhos, as raposas passeiam distraídas entre os galinheiros fechados a ferro e aço. A ribeira ouve-se a correr, a escorrer, a fugir... meu embalo nas noites de insónias. Aqui, em cada esquina há uma história e em cada história oiço o meu riso de criança. Aqui, neste lugar, foi onde todos os meus sonhos nasceram um dia. De volta a casa.

2 comentários:

... a cada instante ... disse...

E quando lá chegares, saberás que é ali...

Daniel C.da Silva (Lobinho) disse...

... de volta a casa... :)

um beijo.