terça-feira, 9 de novembro de 2010

Sorriu

Saiu de casa apressada. a chuva roubou-lhe o penteado. o relógio ficou esquecido. a agenda mais demorada. saiu de casa apressada e arrastava o sonho consigo. pelo caminho, entre as estações, respirava a pausa do tempo perdido. saiu de casa apressada e levava o telemóvel consigo. este vibrou ao som da escrita "bom dia. quando te deitas destróis todo o ordenamento dos lençóis e provocas o caos na nossa cama." Ela sem pressa sorriu.

4 comentários:

Apenas eu disse...

em que instante se perde a pressa... até eu sorri... toca qualquer um.

beijo

mitro disse...

Afinal, em certos casos raros, o caos é óptimo!

piedadevieira disse...

O importante é que sorriu.
Beijinhos

Carlos Ramos disse...

Pequenas impressões deixadas no movimento fugaz da vida que se quer vivida.

Gostei