sexta-feira, 8 de abril de 2011

A paixão dos porquês


Todas as ideias nasceram um dia.

Terminámos a nossa conversa banal de certezas conjeturais e, antes do "Até depois", passou uma estação inteira entre nós, feita de carruagens de silêncio e de olhares. E, aí, entre o acaso e o prazer da descoberta, nasceu a minha primeira ideia de ti. No meio do turbilhão do metro, entre os apitos do fecho das portas, bem nas profundezas de mim: a paixão dos porquês.

4 comentários:

piedadevieira disse...

E eu me pergunto por que não tive o privilégio de ter você no meu blog ainda?
"Alguns homens veem as coisas como são, e dizem.Por quê? Eu sonho com as coisas que nunca foram e digo: Por que não?"
Beijos

FlorAlpina disse...

Também tenho uma mão cheia de porquês, mas ainda sem resposta...

Bjs dos Alpes

symon disse...

:)

*

... disse...

Porquê?
Se soubesses todos os porquês a Vida não dava aquele "arzinho" de graça ;)

beijos